Jornalismo de fôlego: grande reportagem, aprofundamento e contexto

Justifica-se o estudo desse fenômeno pela necessidade dos professores e estudantes de jornalismo da região Tocantina travarem contato, cotejarem exemplos e aprofundarem os seus estudos sobre essa modalidade da profissão. Principalmente porque a prática de um jornalismo aprofundado é condizente com o perfil profissional traçado pelo PDI e projetos pedagógicos nacionais: a formação de profissionais conscientes do seu papel de agentes sociais. O jornalismo de fôlego é aqui entendido como a prática profissional mais paciente, que pode resultar em reportagens amplas, analisando as problemáticas contemporâneas com aprofundamento e contexto, independente do suporte midiático. Pode ser praticado, nas empresas jornalísticas, por repórteres especiais, destacados da frenética produção da pauta factual diária, ou pelo jornalista-escritor, que se dedica por anos a uma pesquisa para elaborar um livro-reportagem. O estudo de seus exemplos no passado e no presente, com o avanço dos formatos multimídia; das rotinas produtivas dos repórteres especiais ou dos jornalistas-escritores de livros-reportagem e das suas especificidades de produção em cada mídia, ilumina um cenário marcado por disseminação de notícias falsas (fake news) e insegurança sobre qual interpretação dos fatos contemporâneos merece confiança. Pesquisar exemplos marcantes de produções jornalísticas aprofundadas em jornais, revistas, emissoras de rádio e televisão, internet e livro, bem como as formas e condições em que foram elaboradas, promoverá aos integrantes do grupo uma visão mais consolidada de como essas práticas aliam-se à compreensão do jornalismo como forma de conhecimento. Também auxiliará na formação de um futuro profissional preocupado em narrar um mundo complexo e as problemáticas de sua região e do seu país de maneira mais contextualizada. Bem como aos professores entenderem as possibilidades do jornalismo de fôlego em qualquer mídia e estimularem estratégias para a sua concretização em âmbito local e regional. Os objetivos do grupo são os de estudar as várias formas de produção de reportagens contextualizadas, aprofundadas, elaboradas com tempo mais estendido e mais espaço, em vários formatos midiáticos, em exemplos regionais, mais raros e, principalmente, nacionais e internacionais. O jornalismo de fôlego vem sendo ameaçado por fatores diversos, tais como a crise do jornalismo impresso e as dificuldades econômicas de todos os meios de comunicação, acompanhada da disseminação das notícias falsas a partir da ampliação das redes sociais. Além do fato de haver uma compreensão simbólica e errônea de que os fatos devem ser alvo de uma cobertura frenética e fragmentada em todas as mídias, pois o leitor, telespectador, ouvinte de rádio e internauta, supostamente assim o espera. A base principal das pesquisas serão os estudos da Teoria do Jornalismo, principalmente no que diz respeito à construção social da realidade, rotinas produtivas e ethos profissional.